Política

Publicado em 31 de julho de 2017 | by Weliton Oliveira

0

Venezuela: um vizinho em apuros

A mídia corporativa exercendo a sua hegemonia, tem pintado um quadro sombrio sobre a situação política venezuelana. A situação de fato é muito delicada. Devo dizer, no entanto, que o quadro pintado é uma imagem bastante destoante da realidade. E acho sintomático que o leitor brasileiro médio, se refira ao presidente Nicolás Maduro como um ditador. Assim como foi também com Hugo Chavez.

A mídia usa a tática do discurso único e traz informações devidamente editadas com o objetivo de fazer predominar a interpretação que lhe convém. Sim, caro leitor, é isso mesmo: trata -se de um teatro, uma interpretação. A notícia não é o fato. A notícia é uma interpretação do fato.

Dada a forma como são noticiados os acontecimentos no país vizinho, as pessoas não se dão conta que uma assembléia constituinte fruto da vontade popular manifesta nas urnas, é a instância máxima de poder delegado pelo povo para que seus representante fundem ou refundem o Estado. A eleição constituinte de ontem foi mais uma, das muitas oportunidades que o povo venezuelano teve durante os governos chavistas, para se manifestar nas urnas. A grande mídia, claro, defendendo interesses corporativos aos quais está intimamente ligada, taxa as consultas populares de ações ditatoriais. E o leitor, a partir deste quadro deformado, sai a repetir como a um mantra , sem raciocinar sobre isto: DI-TA-DU-RA!  DI-TA-DU-RA! DI-TA-DU-RA!

Pois muito bem, como diria um amigo meu. Resolvi colocar alguns links de textos que dão interpretações diversas sobre os acontecimentos políticos do país vizinho. Como os textos da grande mídia, estes também são interpretações dos fatos. Do ponto de vista informativo, a grande vantagem deste post ( às favas a modéstia ) é que assumimos isto, em contraponto à grande mídia que quer fazer-nos crer que nos traz os fatos limpos e puros. Enganação na veia.

Vamos aos links:

O primeiro é excelente artigo postado no blog ocafezinho.com, escrito pelo professor Igor Fuser no dia 30/07/2017, antes que o povo fosse às urnas.

 Igor Fuser é doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP), professor de Relações Internacionais na Universidade Federal do ABC (UFABC) e integrante do Grupo de Reflexão sobre Relações Internacionais (GR-RI). 

Clique no título:

Igor Fuser: mídias corporativas sonegam informações sobre terrorismo da direita venezuelana

 

O segundo texto trata da violência presente nas disputas entre governistas e oposicionistas. A matéria é ilustrada por um vídeo que mostra o momento exato em que uma bomba explode e ouvem se vozes e aplausos comemorando o atentado. O texto está no portal viomundo.com.br que é de  responsabilidade do jornalista Luis Carlos Azenha.

Terrorismo em eleição na Venezuela: Direita planta explosivos em barricada; acionados contra policiais, matam oito; veja vídeo

O terceiro e último link deste post, é para um texto do jornalista Fernando Brito publicado em seu tijolaco.com.br. A matéria trata da violência e da diplomacia. Da posição de outros Estados em relação à República Bolivariana da Venezuela.

Venezuela: vitória do voto mas derrota da diplomacia e do diálogo

Boa leitura.

Tags: , ,



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Topo ↑